sexta-feira, 12 de abril de 2013

mais olhos que barriga

Quando tinha emprego fixo, uma vez por semana eu e Lady Sof íamos sempre ao mesmo restaurante almoçar arroz de pato.
Quando lá chegavamos ainda hesitávamos, olhavamos para os outros pratos, mas acabavamos por escolher sempre arroz de pato.
Às sextas feiras aqui a pastelaria ao pé de casa tem arroz de pato.
E lá vou eu, rua abaixo, buscar arroz de pato para o meu almocinho.
(de repente parece que estou a ler a história do capuchinho vermelho ao menino escarlate, só que o capuz da parka é verde escuro)
A pastelaria do arroz de pato é conhecida pelos seus bolos, tem confeção própria e diz que são muito bons.
Dá-se o caso de eu não gostar de bolos, exceto pasteis de nata.
Mas concordo, os bolos lá são tão bonitos, são tantos e com tão bom aspeto.
Outro dia trouxe para comer em casa um guardanapo que é metade coberto de chocolate.
Cheguei a casa, abri a caixa, abri o guardanapo e raspei o creme todo para uma tigelinha.
A Nônô adora creme de ovos, eu detesto.
Comi satisfeita o meu guardanapo fofinho, com chocolate e sem recheio e a gata também ficou satisfeita.
Hoje lá fui buscar o arroz de pato e, quando estava a pagar, ouço uma senhora pedir para embrulhar umas tartes de amêndoa.
Olhei para as tartes redondinhas e pensei "eu gosto de tarte de amêndoa!" e pronto, trouxe também uma.
Mas, repito, dá-se o caso de eu não gostar de bolos.
Aquilo parecia bom e eu esperava uma tarde rija e seca, mas não, estava humedecida e por debaixo da crosta de amêndoa laminada e tostadinha (yammi) tinha um creme com um sabor  h o r r í v e l , a mim só me lembra anis mas é capaz de ser gila.
(que querem, nunca comi gila na vida, não sei bem ao que sabe mas sei que não gosto)
De modos que comi a crosta de amêndoa laminada e tostadinha com uma colher, para raspar o máximo possível o creme de sabor  h o r r í v e l  e o resto foi para o lixo e para a gata.
Como diria a avó Céu sou é garganeira, já uma vez há muito tempo tinha saído da pastelaria com um palmier simples para ir comendo pelo caminho e à segunda dentada ocorreu-me que não gosto de bolos e dei uma grande alegria a um cão que costumava parar pela paragem do autocarro.
Pelo menos faço dieta e sou amiga dos animais.
(dah!)


{Mais olhos que barriga - Susana Félix}



1 comentário :

  1. Eu sou o contrário de ti. Adoro bolos. E qunado vou ao café faço um esforço enorme para não trazer todos os dias um.


    bjs

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺